Volta ao início Evolução Urbana Histórias Recentes Banco de Imagens
       Vida e Sociedade
       DEPOIMENTOS DE ANTIGOS MORADORES | VELHAS FOTOGRAFIAS


Histórias do Bairro do Recife



Ponte construída por Maurício de Nassau


Ponte MdN Essa ponte ligava o bairro portuário à ilha de Antônio Vaz e foi a primeira, de grande porte construída no Brasil ou nas Américas.

A idéia de se dotar a cidade de uma ponte na antiga "Portada Balsa" surgiu desde o início da ocupação holandesa, entretanto, somente entre 1633 e 1634, durante o governo de Cauien e Chijselin é que foi iniciada e continuada até o início do período nassoviano, vez que até o próprio Nassau duvidava da sua viabilidade de construção.

Enquanto a ponte não ficava pronta explorava-se no local por arrendamento a Jan Cardinael e Martn van Movart, por 10.000 florins no primeiro ano e 21.500 no segundo, o serviço de travessia do rio através de baisas. Terminado esse contrato, novo arrendamento foi feito por 32.000 florins a Symon Cornelius Puychveer. Como esse serviço era da responsabilidade da Companhia holandesa, os soldados e os empregados da firma tinham direito à passagem gratuita.

Diante da premente necessidade da ponte, que dificultava o desenvolvimento da cidade, Nassau promoveu estudos para avaliar as condições das correntes do rio, contratou o pedreiro português Manoel Costa, para construir pilares de pedras com três metros e sessenta centímetros de comprimento por dois metros e quarenta centímetros de largura, para finalmente, em 1641, o engenheiro judeu Baltazar da Fonseca assumiu a construção da ponte, por 24.000 florins e, curiosamente, com direito a um prêmio de 1.000 patacas para a esposa, no caso de vir a se casar em terras recifenses.

A obra teve início com a participação de 50 negros e alguns operários especializados, entretanto problemas de ordem técnica impediram a conclusão da obra, obrigando a assinatura de um destrato.
Diante do impasse o próprio Nassau tomou a frente da empresa, substituindo os pilares de pedras projetadas, por arrimos de madeira resistente à umidade, assentando o resto do lastro. Assim, poucos meses depois, no dia 28 de fevereiro de 1944, João Maurício deu por inaugurada a primeira ponte brasileira, no mesmo local onde hoje existe a ponte que liga o bairro do Recife ao de Santo Antônio e que tem merecidamente o seu nome.

A proposito dessa inauguração, conta-se que para chamar a atenção do público para o evento, Nassau prometeu que faria um boi voar por sobre a ponte. Atraídos pelo inusitado, grande massa de gente ocorreu ao ato de inauguração e, valendo-se de um boi de couro montado sobre roldanas que deslisavam sobre um cabo previamente instalado no alto por sobre a ponte, o povo viu cumprida a promessa do notável governante recifense.

Como se vê na gravura antiga, na cabeceira da ponte havia um pequeno arco construído pelos portugueses encimado por uma cruz e logo abaixo uma coroa alusiva a Nossa Senhora da Conceição, Padroeira de Portugal.

Em sua feição original, a ponte antiga era provida de uma parte levadiça, que permitia a passagem de embarcações veleiras de mastro fixo e tem-se notícia de que no dia 11 de julho de 1649 houve um desastre, quando essa parte basculante teve sua corrente de sustentação rompida, fazendo com que 16 pessoas que passavam na ocasião caíssem no rio. Como resultado do acidente, no dia seguinte nove corpos foram encontrados e dentre elas o de Balthazar von Dartmont, membro do Conselho de Contas e do procurador da cidade, David Atsenborn.


Forte do Brum | Arco do Bom Jesus | Matriz do Corpo Santo
Depósito de Bondes | Casa de Banhos | Ponte construída por Nassau
Antiga Ponte do Recife | Ponte Giratória | Rua dos Judeus | Rua Marquês de Olinda

Voltar